BEM VINDO

Bem vindo a este espaço de divulgação dos sabores e da gastronomia que cá se faz. Sem falsos purismos ou fundamentalismos, sempre na perspectiva da pessoa humana e do equilíbrio delicado entre o saber fazer, o "sabe" e o "faz". Sabe "bem", mas o que é que "faz" ao meu corpo?
Um belo de um cozido à portuguesa, que bem que me sabe. E que tal umas refeições mais ligeiras para criar espaço para aquela sobremesa especial ou para aquele dia imperdível? Levamos até si o saber fazer e o que de melhor se cozinha por estes lados e também o que melhor vai fazer ao seu corpo.
Mande-me um e-mail para ferroni.cook@gmail.com

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Marca nacional assume relevância internacional













A linha de produtos Gouchi da "nossa" Herdade do Carvalhoso, assume cada vez mais uma posição relevante no mercado gourmet além fronteiras.

Proximamente iremos apresentar algumas soluções com recurso a esta linha.

Os nossos parabéns a toda a equipa



domingo, 29 de novembro de 2009

Subnutrição




As primeiras imagens que guardo de subnutrição na memória, situam-se na década de sessenta do século passado, na Etiópia.

Porém, há dias tive oportunidade de me deparar com uma realidade igualmente sem sentido e bem mais próxima.

Durante a hora do almoço, dirigi-me a uma superfície comercial. Reparei que os seus clientes eram maioritariamente jovens. Enquanto aguardava a minha vez na caixa, apercebi-me de que compravam pacotes de batata frita, refrigerantes fortemente gaseificados e açucarados, doces, especialmente tortas em embalagens familiares, pão de forma industrial branco (que na rua barravam com maionese), produtos de charcutaria de baixo custo, pacotes de vinho de longa duração. E, para trazer tudo isto, passavam pela frutaria, literalmente como “cão em vinha vindimada”.

A alguns, devido à sua idade, era-lhes recusada a venda de bebidas alcoólicas mas estes, passavam-nas aos colegas com mais de 16 anos que lhas entregavam depois da linha de caixas. Fui noutros dias, à mesma hora a outras superfícies comerciais, a realidade é a mesma.

Não são sem-abrigo, mas até parecem, são filhos e filhas de família, estudantes das nossas escolas. O futuro do que quer que “isto” venha a ser.

E isto representa o quê?

A falência do sistema de ensino? Os nossos jovens dão as matérias apenas para passarem e não chegam a transformar essas matérias em conhecimento? Ou não conseguem fazer a “ponte” entre os livros que supostamente estudam e a realidade em que vivem. As refeições servidas nas escolas serão pouco apelativas? Os exemplos de casa serão estes? Ou o que é ainda mais grave, estarão a jogar uma roleta russa silenciosa sem se importarem com as consequências dos seus actos?

Quem se importa?

Quem se preocupa?

Quem quer intervir?

Nós, pais, tios, família, professores, amigos, precisamos de dar respostas a esta situação ou a médio prazo, estaremos todos a sofrer as consequências, mas principalmente os nossos jovens.

Quem se chega à frente?

Uma "saladinha" de alface ?

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Nigella’s Hummus

Nigella’s Hummus

Na sequência de outra receita da Nigela, aqui vai uma entrada. Do livro. na Cozinha com Nigella.

Curioso verificar que os cozinheiros das terras de sua majestade, se viram cada vez mais para a culinária mediterrânica, mais propriamente do norte de Africa.

ingredientes:

1 kg de pimentos vermelhos assados no bico do fogão

1 lata grão de bico escorrida

1 colher de chá de colorau

2 colheres de sopa de queijo Filadélfia

2 colheres de sopa de azeite de alho ou azeite e dois alhos

1 colher de chá de sumo lima

Sal qb

Eu acrescentei: pimenta de Cayenna e reforcei o sumo de lima

Pique tudo no proessador.

Fica um hummus, muito bonito de um “escarlate estridente”.

Sirva bem frio, acompanhado de umas boas tostas ou de um pão Pitta cortado aos triângulos e tostado.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Oficina deGustar em Cascais



Mais uma Oficina deGustar, desta vez em Cascais nas instalações do Cascais Business Center.

Uma audiência calorosa que entrou na feijoada vegetariana.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Fudge de chocolate e pistáchio








Receita de Nigella Lawson: www.nigella.com

Simples, mais simples não há! Ideal para as crianças.

Ingredientes:

350 gramas de chocolate de culinária (+70% de cacau)

1 lata de leite condensado

30 gramas de manteiga ( 2 colheres de sopa)

1 pitada de sal

200 gramas de pistáchios

Como fazer:

Descasque os pistáchios, coloque-os num saco e parta-os com o rolo da massa.

Agora, numa frigideira de fundo pesado e em lume brando:

Coloque o chocolate previamente partido, junte o leite condensado, o sal e a manteiga.

Vá mexendo até se derreter. Atenção! Não lamba a lata do leite condensado que ainda se corta! E depois deixa queimar isto tudo.

Quando estiver derretido, junte os pistáchios e misture bem.

Forre com papel vegetal, celofane ou alumínio uma forma com 25X25 e despeje cuidadosamente esta mistura.

Agora é só deixar arrefecer e colocar no frigorifico ou se tiver pressa no congelador.

Quando estiver rijo, corte aos pedacinhos e delicie-se…

Se sobrar alguma coisa, o que duvido, guarde no frio.

domingo, 22 de novembro de 2009

Feijoada Vegetariana









Com o tempo a arrefecer, sabem bem pratos mais fortes e que se prestem a acompanhar um vinho tinto mais encorpado, daí pegar na ideia da feijoada e passá-la para uma versão Vegan.

Ingredientes:

2 Colheres de sopa de azeite extra virgem

4 Cebolas médias

4 Dentes de alho

1 Lata de tomate de 400 gramas

½ Pimento vermelho

½ Pimento verde

50 gramas de soja aos nacos previamente hidratada

200 gramas de seitan

200 gramas de tofu fumado

1 Enchido vegetariano

Colorau qb

Flor de sal qb

Pimenta de Cayena, qb

1 Folha de louro

Comece por colocar 2 colheres de sopa de azeite, louro, 2 cebolas às rodelas e 2 dentes de alho picados ao lume até dourarem. Não deixe queimar os alhos. Quando estiverem douradinhos, reserve numa tigela grande junto com as cebolas. No azeite salteie os pimentos e quando estiverem retire para a tigela. Esprema bem a soja e ponha na frigideira, salpique com colorau e vá mexendo. Corte e salteie o seitan aos cubos. Salteie também o tofu fumado. Reserve.

Faça agora um refogado com o resto das cebolas, alhos, e quando estiverem cozinhados, junte os tomates escorridos e esmagados com as mãos. Se quiser colocar uma malagueta, junte agora e não ponha pimenta.

Quando os tomates estiverem desfeitos, passe com a varinha mágica.

Junte o conteúdo da tigela. Passados 5 minutos, junte o feijão. Se usar de lata, escorra e guarde o liquido para o caso de a feijoada começar a ficar seca demais.

Sempre a mexer.

Entretanto, caso use enchido vegetariano, cozinhe-o em azeite ou água. Retire a tripa e corte aos pedaços. Só vai juntar quando servir.

Deixe apurar bem.

Acompanhe com arroz branco e um tinto alentejano.

Bolo de Maça com Passas e Nozes












Este crumble é simplesmente deliciosoooooo!

Cobertura:

1/2 chávena de açúcar mascavado

1/2 chávena de nozes partidas em pedaços

1/4 chávena de farinha de trigo

1/4 chávena de manteiga muito fria, cortada aos quadradinhos pequenos

1/2 colher de chá de canela em pó

1/8 colher de chá de noz moscada

.

Massa:

1e 3/4 chávena de farinha de trigo

1 colher de chá de canela em pó

1 colher de chá de pimento preta

3/4 colher de chá de fermento em pó

1/2 colher de chá de sal

1 maça Granny Smith, sem casca, cortada em quadrados pequenos

1/2 chávena manteiga derretida à temperatura ambiente

1 chávena de açúcar mascavado

1 colher de chá de baunilha (em extracto puro)

1 ovo ligeiramente batido

1 chávena de passas escorridas e secas depois de terem estado em água quente durante 15 minutos

Preparação:

Pré aqueça o forno à temperatura de 175ºc.

Forre uma forma quadrada de 25x25 com papel de alumínio ou vegetal.

Cobertura:
Usando um processador de alimentos, triture o açúcar mascavado, as nozes, a farinha, a manteiga, a canela, a noz-moscada até ficarem pedaços pequenos. Coloque no frigorífico enquanto prepara a massa.


Massa:
Numa tigela misture a farinha, a canela, a pimenta, o fermento e o sal. Reserve.

No processador de alimentos, triture a maça mas não demasiado. Coloque noutra tigela grande. Adicione a manteiga derretida, o açúcar mascavado, a baunilha e o ovo. Misture.


Junte a mistura da farinha e as passas à mistura da maça, mexendo bem com uma colher. Deite na forma quadrada e por cima a cobertura.


Cozinhe durante
35 a 40 minutos.

Nota1: Eu ponho as passas de molho em vinho do Porto e como 15 minutos è muito, dá umas voltinhas no microondas

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Oficina de Comida Vegetariana

É um "workshop", é um "atelier".

Como somos portugueses, chamo-lhe, simplesmente, Oficina. Onde, tal como na vida, somos todos aprendizes.
Venha cruzar as suas experiências e os seus saberes num espaço alternativo onde no próximo dia 21 se fará cozinha vegetariana.

Traga as suas crianças que elas irão fazer uns bolinhos que tão depressa não esquecerão.

Conheça a Oficina deGustar, onde se aprende a gostar, degustando.

Paulo Ferroni

Sessão de Percussão para Bebés no próximo domingo dia 22


Venho por este meio informar que irei realizar no próximo domingo, dia 22 de Novembro, duassessões de percussão para bebés até aos 3 anos, no Espaço Ser Inteiro, em Lisboa (Rua do Salitre, nº 185, 1º Direito - perto do Largo do Rato).
Entre as 10h30 e as 11h15 decorrerá a primeira sessão para bebés até ano e meio e entre as 11h30 e as 12h15 a segunda sessão para bebés de um ano e meio até aos três anos. Caso o número de famílias inscritas não ultrapasse as 10 para ambas as sessões, apenas se realizará uma sessão às 11h30 com bebés de ambas as faixas etárias (serão informados da situação antecipadamente caso aconteça).
O valor por família é 10 euros, que pagarão no próprio dia (pedimos que o façam em dinheiro para tornar o processo mais simples).
Para se inscreverem basta enviarem um email ou ligarem para o telefone do Espaço Ser Inteiro, contactos estes que se encontram no site respectivo www.serinteiro.com
Abraços,
José Sebastião

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Falafel


Este é o verdadeiro fast-food do médio oriente. A sua paternidade tem sido reclamada por árabes e judeus, sendo que ultimamente também apareceram os libaneses e os sudaneses a reclamar a sua paternidade. É mais popular que as nossas castanhas assadas e as farturas juntas.


Ingredientes:


2 Chávenas de grão-de-bico
1 1/2 Chávena de fava
1 Chávena de folhas de coentros
1/2 Chávena de salsa
8 Dentes de alho picados
2 Colheres de chá de sal
1 Colheres de sopa de sementes de coentro em pó
1 Colheres de sobremesa cominhos em pó
1 Cebola grande
1 Colheres de café de pimenta preta

1/2 Colher de café de pimenta Caiena (opcional)
1/2 Chávena de pão ralado
1 Colher de sopa de bicarbonato de sódio adicionado antes de fritar
1 / 2 colher chá de fermento em pó

Deixe de molho em água o grão-de-bico e as favas durante uma noite.
Pique e misture o grão-de-bico e as favas num liquidificador até que os grãos atinjam a consistência de migalhas de pão fino.
Coloque numa tigela grande. Em seguida coloque a cebola, alho, coentro e salsa no liquidificador e bata até que atinja uma consistência pastosa, adicione à mistura de grão e favas.
À tigela adicione o cominho, o coentro, o sal, a pimenta preta, a pimenta de Caiena e o pão ralado. Misture muito bem. Prove para ver se está bom de sal
Aqueça óleo numa frigideira pequena até cerca de 1 cm de numa temperatura média a baixa (160º).
Adicione o bicarbonato de sódio na mistura de grão e misture bem.
Molde a mistura em bolas pequenas
e deixe coloque no óleo para fritar, vire continuamente as bolinhas de falafel para ter a mesma cor em todos os lados. CUIDADO QUE ESPIRRA!!!
Quando tiverem uma cor dourada, remover as bolinhas e escorrer em papel de cozinha.
Sirva quente
com molho de tahine ou com maionese misturada com iogurte, cominhos, pimenta branca e sal refinado.

Também pode fazer hambúrgueres e em vez de fritar pode assar no forno. Fica um pouco mais seco mas com muito menos gordura.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Português, "rei" em Nova Iorque

Queijo da



Beira Baixa



"Rei" em


Nova Iorque

2009-10-14


O queijo amarelo da Beira Baixa, produzido na fábrica Damar, no Fundão, foi seleccionado para tema de palestra e acções de degustação a partir de amanhã em Nova Iorque, nos Estados Unidos da América (EUA), anunciou ontem a empresa.

Em 2008 foi eleito o "queijo do momento", numa "prova cega" com 100 queijos de todo o mundo, organizada pelas revistas especializadas Wine Spectator e Vanity Fair.

"A distinção deu grande projecção internacional ao nosso queijo", explicou o empresário Daniel Reis Amarelo, da Damar.

Como resultado, as vendas no último Natal subiram e surgem convites. A empresa Tavaron, que distribui o queijo nos EUA, "escolheu-nos para participar numa palestra sobre queijos, no dia 15, e numa degustação na 5ª Avenida, no dia 16, para vários convidados, como lojas gourmet e cadeias de distribuição", disse Daniel Amarelo.

"Os americanos querem saber as origens, conhecer a região e receber explicações detalhadas sobre o processo de fabrico do queijo. São muito interessados nesses aspectos", explicou o empresário, que espera conquistar novos clientes durante esta deslocação.

"Na próxima semana veremos. Vamos estabelecer contactos com grandes compradores deste tipo de produtos", sublinhou.

O Queijo Amarelo da Beira Baixa é produzido com leite de ovelha e cabra com uma cura de 45 dias. É um produto certificado, com Denominação de Origem Protegida (DOP), que garante o fabrico segundo características próprias e sujeito a um sistema de controlo independente, instituído ao longo da sua fileira de produção.

O Queijo Picante de Beira Baixa é o outro produto DOP da Damar, também produzido com leite de ovelha e cabra. Tem, no entanto, uma cura prolongada, superior a quatro meses, que lhe confere um sabor fortemente pronunciado.

A exportação representa quase um terço da produção da Damar, que inclui outros tipos de queijo, num total de 1.600 unidades por dia. Cerca de 400 são de queijo amarelo, que se encontra no mercado nacional por um preço que ronda os 12 euros o quilograma.

A empresa emprega 40 pessoas e está instalada na Zona Industrial do Fundão.



Fonte JN

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Lasanha de seitan com Beringela e cenoura


È uma receita óptima para celíacos pois as folhas de massa são substituídas pelas fatias de beringela.

Receita como apoio da Karpediem, produtora de seitan, tofu e mais umas delícias para quem procura produtos naturais saborosos.

Ingredientes para 6 pessoas que comam “bem”(acho uma delicia dizer “comer bem” quando devia ser” comer que nem um alarve”. Especialmente porque eu pertenço ao clube dos que comem mais que bem.)

2 beringelas grandes fatiadas a 5 mm na mandolina

600 gramas de seitan

5 dentes de alho (eram pequenos)

200 gramas de cenoura aos cubinhos

18 tomates bem maduros

4 cebolas pequenas

1 alho francês

2 folhas de louro

Azeite extra virgem

Pus as beringelas em água com sal e uma colher de vinagre.

Comecei por fazer um refogado ligeiro com azeite extra virgem, cebola aos cubinhos e folha de louro. Adicionei o alho. Juntei 6 tomates pelados esmagados. Cortei o seitan aos cubinhos e juntei no tacho com as cenouras. Baixei o lume deixei cozinhar.

Entretanto comecei a saltear o alho francês numa frigideira. Reservei.

Escorri as beringelas e passei-as por água. Deixei-as grelhar um pouco na grelha só com um borrifo de azeite.

Misturei o alho francês no seitan e desliguei.

Com o resto do tomate e da cebola, fiz um molho de tomate ligeiro.

Fiz também um bechamel com duas colheres de azeite, duas colheres de farinha e 250 ml de leite de soja. Lume baixinho e passados 10 minutos, pus metade deste molho no fundo de uma forma com 25X25 cm. Forrei com beringelas, uma camada de molho de tomate, seitan, nova camada de bechamel e o resto do seitan. Cobri com beringelas e pus por cima o resto do molho de tomate.

Ficou muito bom, sem queijo e sem os hidratos de carbono da massa.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Paté de Tofu



Com o alto patrocínio da Karpediem, produtora de alimentação biológica em Cernache do Bonjardim, que ofereceu o tofu para este teste, apresento uma versão de um paté de tofu. Óptimo para barrar no pão ou em tostas. Pode usar também em pizzas.

300 g de tofu
1 ou 2 cebolas novas (cuidado para o paté não ficar muito ácido)
200 g de azeitonas sem caroço
1/4 de pimento vermelho às tirinhas. se estiver assado, melhor.
2 ou 3 colheres de Azeite extra virgem
Oregãos
1 molho de coentros
Pimenta
flor de sal

Tudo no copo batedor e, é ir provando.

Substitui com vantagens muita "coisa" que por aí se põe no pão.

domingo, 27 de setembro de 2009

Semana vegetariana



Semana Vegetariana 2009

De 1 a 7 de Outubro de 2009 irá decorrer, pelo segundo ano consecutivo, a Semana Vegetariana Mundial. Inúmeras organizações, espalhadas por vários países, juntam-se a este movimento para promover um estilo de vida mais saudável, mais humano e ambientalmente sustentável.

Este ano, o famoso autor John Robbins aceitou o desafio de promover a Semana Vegetariana Mundial. John Robbins é filho do fundador do império de gelados Baskin & Robbins, e desistiu do império para se concentrar na sua escrita e na promoção de um estilo de vida saudável e conscencioso. É autor do best-seller "The Food Revolution" e ainda dos livros "Diet for a new America" e "Healthy at 100", John Robbins é também um brilhante orador tendo sido orador principal em várias conferências em diversos países. John Robbins convida-o(a): Por uma melhor saúde para SI e para o PLANETA, escolha o vegetarianismo, promova a Semana Vegetariana: de 1 a 7 de Outubro.

A Semana Vegetariana são sete dias, dedicados à promoção e divulgação do vegetarianismo, enquanto estilo mais saudável, ético e ecológico.

A iniciativa pretende também chamar a atenção da comunidade em geral para os problemas causados pelo consumo de carne, bem como para informar sobre as vantagens de uma alimentação vegetariana. Com relatórios praticamente diários sobre secas severas, inundações, tempestades e incêndios, e com cientistas ambientais a prever o aumento da temperatura, é urgente corrigir o mundo do seu actual percurso insustentável como forma de evitar uma enorme catástrofe. Vários relatórios têm demonstrado a contribuição significativa das dietas baseadas em animais para o aumento do aquecimento global, sendo essencial considerar uma mudança nas dietas como prioridade mundial.

Todos os dias são excelentes dias para sermos vegetarianos conscientes e saudáveis, mas os dias 1 a 7 de Outubro são uma boa oportunidade para redobrar os nossos esforços e campanhas no sentido de um mundo melhor:

· 1 de Outubro, Dia Mundial do Vegetarianismo

. 2 de Outubro, Dia Mundial dos Animais de Quinta

· 4 de Outubro, Dia Mundial do Animal

Em Portugal, o Centro Vegetariano é o promotor desta iniciativa e convida todas as associações, restaurantes vegetarianos, lojas de produtos naturais e outras entidades a juntarem-se à Semana Vegetariana 2009, organizando workshops, palestras, demonstrações culinárias ou outras formas de promoção.

Todas as pessoas são convidadas a participar distribuindo folhetos, estando presentes em eventos ou simplesmente divulgando aos amigos.

O site http://www.semanavegetariana.com disponibiliza toda a informação relativa a essa Semana, assim como todas as iniciativas que se irão realizar de Norte a Sul do país.

Junte-se a esta iniciativa de promoção do vegetarianismo!



Copyright Centro Vegetariano. Reprodução permitida desde que indicando o endereço: http://www.centrovegetariano.org/Article-523-Semana%2BVegetariana%2B2009.html

Seitan com legumes.




Ingredientes:
3
colheres sopa de Azeite extra virgem
500
gramas de Seitan
2
cebolas médias
2
dentes de alho
2
colheres de sopa de massa de pimentão
1
courgette
½ beringela
4
tomates
1
chuchu
¼ de pimento às tiras
Pimento e sal.
Execução:
Refoga ligeiramente a cebola, junta o alho. Passados 2 ou 3 minutos, junta os tomates já descascados e sem grainhas e o chuchu que costuma custar a cozinhar. Tapa, deixa estufar um pouco, junta o seitan, a massa de pimentão e os
restantes vegetais. Rectifique os temperos e siga o meu conselho, primeiro a pimento, e só depois o sal, vai ver que utiliza menos sal. O seu corpo agradece

O feijão-menino e o pastel

Era uma vez um feijão que, tal como na história, achava que iria tocar o céu, servir de escada aos meninos, que em si, iriam construir casas de brincadeira e fazer dos bibes bandeiras de pirata.Dizia à sua mãe feijoeira: eu não quero ser feijoada. E se for um chili? contrapunha a mãe do alto da sua sabedoria. Não quero! Exclamava por entre soluços cada vez mais profundos. Eu quero ser um feijão de trepar e trepar até ao céu. Enroscar-me nas estrelas e piscar o olho à lua. Acolher os meninos e acarinhá-los na minha sombra!

E a mãe, como todas as mães, tudo sabe, perguntou: e se fores assim, uma delícia? doce? fofo? e que faças pequenos e grandes fechar os olhos de prazer?

Como mãe?

Vais ser um pastel de feijão e, assim, lá para os lados de Torres Vedras, apareceu o primeiro pastel de feijão. E foi o primeiro de muitos que nos deliciam até aos dias de hoje. E de cada vez que os provamos, é como se morressemos um pouco, de prazer. Daí fecharmos os olhos. Sim porque é do Prazer que se vive.

Por isso é que o feijoeiro nunca chegará ao céu.





60 cents, agora o Rap é outro, man

Tofu à italiana



Esta receita é a recriaçao de uma outra que vi no site do centro vegetariano (centrovegetariano.org)

Ingredientes.
1 fio de azeite extra virgem
1 cebola fatiada às meias luas
2 dentes de alho
¼ de pimento vermelho às tirinhas
500 gramas de tofu aos cubos
500 ml de polpa de tomate
100 gramas de milho
250 de ervilhas previamente cozidas
200 gramas de azeitonas pretas às rodelas
1 colher de chá de orégãos
Meia dúzia de folhas de manjericão ou coentros
Sal qb
Pimento cayene qb (pouquíssimo)

Execução:
Num tacho ou caçarola, cubra o fundo com azeite. São 2 ou 3 colheres de sopa. Coloca as cebolas, e as tirinhas de pimento. Passados 2 ou 3 minutos, os alhos. Mais 2 ou 3 minutos e vai saltear o tofu. Vá mexendo com muito jeitinho para não esmigalhar aquilo tudo. Quando o tofu estiver a escurecer, junte a polpa de tomate e tudo o resto com excepção do manjericão ou dos coentros, que só põe no final. Cozinhe por 10 minutos em lume brando.
A acompanhar, Pavaroti & friends, um bom tinto maduro e uma companhia de eleição. A ordem é arbitrária.
E que lhe saiba bem…

domingo, 6 de setembro de 2009

Tofu de coentrada



250 gramas de Tofu
1 cabeça de alhos
1molho de coentros
200 ml de azeite extra virgem
2 cebolas
1 quilo de batatinhas novas
1 raminho de rosmaninho
Flor de sal qb
pimenta branca qb

Eu acho que todos nós devemos ter uma costela alentejana, mas eu devo ter pelo menos aí umas duas. É aquele pão, aquelas açordas de uma simplicidade despojada e que nos satisfazem. E são os temperos, o poejo, a hortelã da ribeira e para mim, o supremo, os coentros. Que odores, que paladar. E daí achei por bem fazer um Tofu de coentrada acompanhado de batatinhas a murro.

Comecei de véspera por num almofariz tradicional, colocar 4 ou 5 alhos e um molho de coentros previamente picado. Esmaguei muito bem e coloquei um pouco de azeite.
Cortei o Tofu em cubos e pu-lo a marinar com aquela massa que cheirava tão bem. Mexi algumas vezes

No dia seguinte, fiz numa caçarola, um refogado ligeiro com o azeite da marinada, duas cebolas pequenas e dois alhos.

Tapei e reduzi ao mínimo o lume. Passados uns dez minutos e antes que a cebola queimasse, borrifei com vinho branco. Daí a a pouco coloquei o tofu e deixei cozinhar em lume brando.

Acompanhei com umas batatinhas biológicas assadas no forno com sal, azeite e rosmaninho.

No copo, acompanhei com um tinto, alentejano, tinha de ser, Pias, da Herdade da Capela.

sábado, 29 de agosto de 2009

Salada nas cores da vida



Esta é a minha salada preferida, não é uma entrada nem um acompanhamento, é um prato principal, vivo e saciante.
Quando num qualquer restaurante pedir uma salada, não é isto que lhe irá parar à mesa. Em sua casa atreva-se a fazer uma salada assim.

Leva:

1 pimento vermelho
1/2 alface iceberg
1/2 alface roxa
5 tomates médios
1/4 de molho de salsa
1 alho pequeno
200 gramas de queijo Feta
150 gramas de azeitonas às rodelas.
Azeite qb
Vinagre balsâmico qb
1/2 cebola
Rúcula.

Comece por assar o pimento no bico do fogão.
Corte a cebola aos cubos e no fundo da saladeira junte-a ao vinagre balsâmico. Assim perderá a sua acidez natural.
Corte o queijo aos cubos para uma tigela, junte as rodelas de azeitonas, polvilhe generosamente com orégãos e regue com o melhor azeite que tiver.
Junte-lhe os pimentos aos cubos ou às tiras. e deixe estar.
Lave as alfaces e a rúcula. Lave e pique finamente a salsa e coloque-a na saladeira.

Junte tudo e mexa muito bem.

Se quiser junte uns croutons ou ainda melhor, ponha uns bocados de um bom casqueiro no fundo da saladeira.

nota. os tomates não devem de sair directamente do frigorífico para a saladeira.

sábado, 22 de agosto de 2009

Seitan à alentejana



Numa recriação daquele que eu acho que é o melhor prato de bacalhau do mundo e arredores, achei por bem, fazer este prato tendo por base o seitan, uma vez, que não pretendo que os vegetarianos sejam privados deste prazer.

Ideal para quem gosta de pratos de forno à base de batatas a murro e azeite.

Ingredientes.

Seitan

2 cebolas

5 tirinhas de pimento

800 gramas de batatas pequeninas biológicas

300 ml de azeite extra virgem

10 dentes de alho

Coentros frescos picados, um molho generoso

rosmaninho

Procedimento.

Comecei por no no fogão e no bico mais pequeno que tenho , no minimo, colocar os alhos no azeite e deixar estar para aí umas duas horas.

Numas duas colheres de sopa desse azeite, salteei o seitan e o pimento.

Cozi as batatas, dei-lhes umas palmadas e coloqueias num tabuleiro em cama de sal no forno com um bom bocado de rosmaninho. Reguei com um pouco de azeite.

Quando retirar as batatas do forno, limpe-as do sal que vem agarrado para que não vãsalgar demasiado o prato.

Num tacho de barro, coloquei as batatas, o seitan, em resumo, tudo menos os coentros.

Mexi e deixei um bocado ao lume para que os aromas se misturassem.

Pus os coentros, mexi e estava pronto a servir.

Acompanhei com uma reserva tinta de reguengos.

Diferenças





Ontem, entrei num hipermercado e ao chegar à peixaria, o meu estômago, até deu voltas como que vi, a falta de aprumo e de sentido do gosto naquilo que se faz e que não devia de se fazer, pelo menos de determinadas formas. O peixe exposto, na sua maioria, já tinha conhecido melhores dias e de tanto congelar e descongelar já estava com faltas de pele. E chamam àquilo “distribuição moderna”.

Para contraponto, aqui vos deixo algumas fotos que recolhi da última vez que estive em Itália, Mais especificamente no mercado do Rialto em Veneza. São bancas de peixe num mercado de rua, num país latino, tal como cá.
Mas uns são mais do que outros.

Querida, mudei a cozinha.


Para quem tem falta de espaço, aqui vai uma proposta de uns japoneses de uma cozinha, muito, muito mesmo, minimalista.tipo cozinha enlatada ou melhor concentrado de cozinha.

Esta foto mostra apenas as chaminés do palácio nacional de Sintra.

Com um pouco de imaginação,apenas, podemos imaginar o tamanho da cozinha.

E pensar na trabalheira que é limpar aquela cozinha.